Notícia Rápida:
AINVIC Informa: Almoço de Negócios
Você está em: exibe-noticia
Cacau do Sul da Bahia ganha Selo de Indicação Geográfica
Publicada em: 26 de fevere de de 2
Cacau do Sul da Bahia ganha Selo de Indicação Geográfica

Cacau do Sul da Bahia ganha Selo de Indicação Geográfica

Produto baiano passa a ser ainda mais valorização no mercado com conquista do Selo

O Sul da Bahia está em festa. É que foi publicada, no dia 30 de janeiro, pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), a Indicação Geográfica (IG) da região no que se refere à produção da amêndoa de cacau. Com a conquista da IG, por solicitação da Associação Cacau Sul Bahia, a área passa a contar com o Selo de Origem, o que permite aos produtores valorizarem o trabalho desenvolvido, bem como a produção de cacau e chocolate.

O Selo é concedido a lugares que são conhecidos como tradicionais produtores de um determinado produto ou serviço ou cujas características do produto, quando originário do local, são únicas. No caso do Sul da Bahia, conta toda a tradição e história em torno da produção de cacau, como, por exemplo, o modo de produção cabruca, que minimiza o impacto no meio ambiente, ajudando a manter parte da flora e sem eliminar a fauna local.

Para o secretário executivo da Associação Cacau Sul da Bahia, Cristiano Santana, a Indicação Geográfica é um reconhecimento de que a região tem um produto diferenciado, uma história. “É uma narrativa que fala de desenvolvimento regional e econômico através da agregação de valor ao produto amêndoa de cacau da qualidade e da origem. Essa publicação marca o fim de uma etapa e o início de outra que é trabalhar, dentre outras coisas, a qualidade, o marketing e a comunicação em cima da região e seu produto”, ponderou.   

A Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), fez parte de todo o processo para a conquista do Selo, através do Instituto Federal Baiano, no Edital de Apoio a Tecnologias Sociais e Ambientais, o que envolveu, inclusive, nos últimos anos, aplicação de recursos, por parte da Fundação, no valor de R$ 151 mil. O secretário da Secti, Vivaldo Mendonça, destacou a importância do Selo para a Bahia. “É o reconhecimento que o Sul da Bahia possui características diferenciadas e que nos colocam num patamar elevado para comercialização de nossos produtos".

 

A Associação Cacau Sul Bahia emitiu nota oficial sobre a conquista. Confira:

“No último dia 30 de janeiro de 2018 foi publicado no Site do INPI em sua Revista de número 2456 a concessão da Indicação de Procedência Sul da Bahia - IP Sul da Bahia (uma das categorias de Indicação Geográfica existentes no Brasil).

Tendo como missão, “PROTEGER O CACAU POR MEIO DA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA SUL DA BAHIA, VALORIZANDO OS SEUS ASPECTOS SOCIOECONOMICOS, CULTURAIS E AMBIENTAIS.”  e formada por 14 associações, cooperativas e instituições setoriais entende-se que a IG através da ACSB impulsiona pode impulsionar a cadeia do cacau e chocolate nos seus diversos âmbitos, econômico, social, ambiental e de difusão tecnológica.

Nesse sentido é importante para a ACSB salientar que esta é uma discussão que permeia a Região a aproximadamente 10 anos e culminou no ano de 2014 com a fundação da ACSB e protocolo do pedido de registro da IP no Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI. Durante esse período vários grupos organizados de produtores trabalharam para que essa conquista fosse possível.

Durante todo esse período tivemos apoiadores, destacando-se o INSTITUTO ARAPYAU, FUNBIO, SEBRAE, FAPESB, FIEB, além do Ministério da Agricultura, IF Baiano, Instituto Cabruca, dentre outros, que apoiaram financeiramente essa iniciativa.

 A ACSB agradece a suas 14 instituições associadas, representantes de mais de 3000 produtores de cacau e aos seus parceiros, tais como, UESC, CEPLAC, Centro de Inovação do Cacau (PCTSB), IF-Baiano, Rede dos Povos da Mata, Associação dos Produtores de Chocolates de Origem Sul da Bahia, FAEB, SENAR, SECTI, SEDUC, SENAI, e produtores de cacau, empreendedores do ramo de chocolates finos e derivados de cacau, ONGs e poder publico.

 Por fim, destacamos que foi vencida mais uma etapa rumo ao maior desenvolvimento da Cacauicultura no Sul da Bahia, e que estamos apenas no começo de uma nova fase muito mais árdua de trabalho para consolidação da Indicação Geográfica Sul da Bahia e consequentemente da Região como referencia mundial como produtor de cacau de alta qualidade. Essa é uma conquista dos produtores!!!”

 

*  Fontes:  Secti e ACSB


Escrita por: AINVIC - Associação das Indústrias de Vitória da Conquista
Notícia da Categoria: AGRICULTURA





Você também pode se interessar por: